Autenticar

Login to your account

Username
Password *
Remember Me

A GCCTP

Os primeiros Cavaleiros Templários de Portugal do Rito de York foram armados em Manheim (20/09/1997) e no Palácio da image005Pena em Sintra (24/01/1998) no âmbito da Comenda Henry Miller n.º 5 do Grand Encampment of Knigt Templars, USA estacionada na Alemanha. Em Julho de 1998 os Cavaleiros portugueses solicitaram o seu ingresso na Comenda nº 2, S. João de Turim e foram peticionários para a constituição das 3 primeiras Comendas Templárias em Portugal. A concessão das respectivas dispensas pelo Muito Eminente Grande Comendador da Gran Commenda dei Cavalieri Templari d' Itália, Raffaelle Franco Ricci ocorreu em 19 de Setembro de 1998, em cerimónia realizada no Palácio Pancas Palha em Lisboa: Comenda Henrique o Navegador com jurisdição no Sul, Comenda Nuno Álvares Pereira com jurisdição no Norte e Centro Litoral, e Comenda Cristóvão Colombo, com jurisdição no Norte e Centro Interior de Portugal. As dispensas foram confirmadas por unanimidade no 61º Conclave do Grand Encampment Knights Templar em Nasville (2000) pela maior potência templária do mundo: The Grand Encampment Knights Templar - USA. A Carta patente da Grande Comenda de Cavaleiros Templários de Portugal foi concedida em 2003 no 62ª Grand Conclave do GEKT em S. Louis (Missouri) sendo o seu Primeiro Grande Comendador José Vieira. Entretanto urgiram as Comendas Nossa Senhora de Guadalupe (Albufeira) e D. Dinis s.d. (Lisboa).

Todo o Mestre Maçom que seja crente na Religião Cristã deve receber as Ordens conferidas por uma Comenda

Todo o verdadeiro Maçom tem como dever aperfeiçoar-se na maçonaria e consequentemente receber mais e mais luz. As bases da maçonaria são encontradas nos três primeiros graus, no entanto, as lições e as verdades sublimes são mais cabalmente explicadas e desvendadas nos mais altos graus do Rito de York, e é desejável e praticamente necessário que cada um deva frequentar os altos graus com vista a tornar-se um membro mais útil para a sociedade.

Vejamos, então as vantagens do Rito de York e porquê todo o Mestre Maçom que seja um crente no cristianismo deve receber estes altos graus.

 

GElogo

Nos 3 graus duma Loja Azul, descobrimos as virtudes cardinais: Temperança, Fortaleza, Prudência e Justiça. Ensinaram-nos as grandes verdades da Paternidade de Deus, da Irmandade dos Homens, e da Imortalidade da alma.

No Arco Real ensinaram-nos as grandes lições da: Caridade, Moderação, Assiduidade, e Humildade. Também encontramos algo que fora perdido como sendo o Sinal de Deus.

No Conselho os graus crípticos conduziram-nos aos tempos anteriores à morte do construtor e aos incidentes que ocorreram na construção do 1º Templo e durante o cerco de Jerusalém. Aqui completamos o circulo de perfeição da Antiga Maçonaria.

Na Comenda, a Ordem do Templo completa esta discrição pela revelação do Grande Mestre da nossa salvação. Se a maçonaria é a procura depois de Deus, esta procura termina no Templário. O ensinamento Templário dá ao homem o poder de atingir a bondade perfeita. Isto é, onde a maçonaria templária vai para além da moral e filosofia das restantes partes da maçonaria. Á maçonaria chamaram já a “entrada para a Igreja” A maçonaria templária atravessa essa porta. Ela é o único corpo em que os seus ensinamentos são estritamente baseados na religião cristã.

Todo maçom cristão que procure a verdade nunca se arrependerá de apresentar a sua petição para um grau ou ordem no Rito de York e ficará muito impressionado com as várias e belas lições religiosas que estes graus e ordens apresentam. 

“A maçonaria templária, proclama através seus propósitos e princípios, o seu apelo para que o forte proteja o fraco – que os bravos e verdadeiros Cavaleiros estejam sempre sujeitos à lei do serviço e do sacrifício. De certo que a moderna maçonaria templária poderá traçar o seu parentesco com o dos Defensores da Fé, valorosos e verdadeiros homens, que são dignos antepassados dos leais seguidores da Cruz dos nossos dias.

“Não há, porém, qualquer possibilidade de que a nossa ordem moderna de Cavaleiros Maçónicos Cristãos esteja directamente relacionada com a antiga Ordem de Cavaleiros Cristãos cujo nome nós orgulhosamente ostentamos, cujas valorosas Marcas e virtudes Cristãs emulamos. Não importa quem inicialmente formulou o Ritual e Cerimonial, e apelidou e criou os primeiros Cavaleiros Templários Maçónicos. Tudo isto nasceu espontaneamente dos arrebatados, senão mesmo inspirados, espíritos dos Maçons Cristãos reverentes e devotos que ardentemente desejaram levar para casa, para os corações, consciências e vida diária dos seus irmãos e companheiros, a mensagem celestial do nosso abençoado Emanuel.”

A antiga Ordem do Templo foi dispersada e o seu espírito guerreiro está ultrapassado. Permanece, contudo, o espírito Cavalheiresco refinado e moral, que incita os seus membros a estarem sempre prontos para defenderem os fracos, os inocentes, os necessitados e os oprimidos.

Será que tal Ordem não apela para os teus desejos e aspirações? Se não és Maçom do Arco Real deves preparar-te para fazer a peregrinação do Rito de York que te levará cada vez mais alto à maravilhosa montanha no topo da Maçonaria. Se és Maçom do Arco Real, já recebeste os graus Crípticos e és crente na religião cristã, deves solicitar as Ordens Cavalheirescas da Cruz Vermelha, de Malta e finalmente A ORDEM DO TEMPLO. Nenhum grau ou Ordem na Maçonaria é mais solene, impressivo e espiritual. É o adequado clímax para os trabalhos do humilde penitente, que fielmente percorreu os sete anos simbólicos de preparação visando a consumação dos seus esforços.